domingo, 15 de janeiro de 2012


PELA TRANSPARÊNCIA NOS GASTOS PÚBLICOS COM O PRÉ-CAJU

Salve salve a todos

Como voces devem estar acompanhando pelo rádio e redes sociais, o coletivo de músicos Serigy All-Stars  apoiado por outros coletivos e colegas músicos, inclusive pelo FMS, protocolou na última quinta-feira ao Ministério Público Federal denúncia com cópia anexa de um relatório do Tribunal de Contas da União apontando diversas irregularidades no uso de verbas do Ministério do Turismo para a realização da festa privada Pré-Caju realizada pela ASBT.

A iniciativa dos Serigy All-Star veio logo depois que um estudante que divulgou pela internet matéria do jornal Correio Braziliense a respeito do mal uso do dinheiro público no Pré-Caju foi notificado por oficial de justiça a comparecer perante a Delegacia da Ordem Tributária para prestar esclarecimentos. No entanto não foram intimados os responsáveis pelas irregularidades, os irmãos Fabiano Oliveira e Lourival Oliveira, respectivamente criador do Pré-Caju e presidente da ASBT.

A imprensa local, a exemplo a TV Atalaia, noticiou o fato como um caso de 'mal utilização da internet', tentando distorcer para o grande público a verdade dos fatos e colocando o estudante como o 'bandido' da história. Pela ocasião uma série de manifestações repudiando as atitudes da imprensa e do criador da festa Fabiano Oliveira - que fez a queixa contra o estudante -  percorreram a internet, especialmente as redes sociais, e uma cópia do relatório do Tribunal de Contas da União chegou compartilhada nessa onda de manifestações.

O relatório do TCU é um documento técnico oficial que aponta diversas irregularidades no emprego das verbas destinadas por deputados sergipanos e baianos para uso na festa privada Pré-Caju realizada pela ASBT. Festa que recebe anos a fio apoio dos diversos governos estaduais e municipais gerando ônus aos cofres públicos. Um dinheiro que bem poderia ser destinado para fomentar a cultura local e prestar apoio à produção musical de Sergipe.

Pelo contrário, os mega-empresários baianos com suas táticas de indústria voraz invadem o mercado musical sergipano durante o Pré-Caju e perduram ao longo de todo o ano imperando nas festas da capital e interior, dizimando nossa cultura, a reboque do êxito e lucro obtidos na micareta aracajuana paga com dinheiro público.

Alguns poucos colegas sergipanos encontram pequeno espaço dentro da programação do Pré-Caju e infelizmente - ou pela falta de uma reflexão maior dos artistas a respeito do assunto, ou por covardia de se impor contra os coronéis do evento -  acabam se contentando com as migalhas.
Parecem não se darem conta de que buscar no poder público uma postura digna e um correto tratamento das verbas lhes dará não apenas uma noite de trabalho no Pré-Caju, mas abrirá as possibilidades para um ambiente propício ao desenvolvimento de toda produção musical sergipana.


Não queremos o fim do Pré-Caju, reconhecemos a simpatia que a população em grande parte estabeleceu com o evento nestes 20 anos. Reconhecemos a geração de renda que ocorre por conta dos quatro dias de festa em janeiro anualmente. Mas temos pela frente mais onze meses nos quais são jogados à míngua músicos, ambulantes, donos de bares, donos de hotéis, taxistas, e todo seguimento citado como beneficiado pelo Pré-Caju. A relação custo/benefício dos gastos públicos empenhados e seu impacto ao longo do ano no mercado turístico e cultural devem ser observados acima da instantânea movimentação de renda gerada durante o mês em que a festa é realizada.


Se é dinheiro público que está sendo usado para realizar o Pré-Caju, exigimos a transparência nos caminhos percorridos por este nosso dinheiro. Exigimos a clara prestação de contas por parte da ASBT. Se é dinheiro público que está sendo utilizado, queremos saber dos senhores deputados que presentearam a prévia carnavalesca com 16 milhões do Ministério do Turismo o porquê destes mesmos recursos não terem sido utilizados, por exemplo, para ressuscitar o Festival de Artes de São Cristóvão que foi abandonado pelos gestores públicos.
Perguntamos porque o governador, prefeito e deputados tão empenhados com a prévia carnavalesca de Fabiano Oliveira e empresários da ASBT, nenhum esforço fizeram junto ao Ministério do Turismo para que Sergipe fosse incluída no roteiro das cidades destino para a Copa de 2014.  O objetivo com a criação do roteiro é aumentar o fluxo turístico e a geração de renda e emprego das localidades indicadas. Entre os nove estados nordestinos, Sergipe foi o único que ficou de fora.
 

Por estas razões, o FMS declara total apoio às manifestações que intimam os governos estadual, municipal e legislativo a reverem suas posturas de apoio irrestrito a esta festa particular preterindo a classe musical sergipana.
 


Em nome da circulação ao longo de todo ano da nossa produção,
nossa música, e nossa cultura.

Pelo bem de nosso ganho enquanto agentes de entretenimento e arte,

o FMS conclama a todos a firmarem a voz por mais esta causa.

Abraço.
 

Diretoria do Fórum Música Sergipe 

___________________________________________________________________________

 Ouça A Marchinha do Oficial composta e gravada pelo cantor Henrique Teles inspirado na 
'polêmica do mal uso da internet' 

video


____________________________________________________________

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

      ANDORINHA QUE NÃO FAZ UM VERÃO SÓ
                                      ou
   (enquanto eu passarinho, eles passarão outra vez...)



Como observou o excelente Henrique Teles num comentário de facebook, a proporção de artistas locais x nacionais na programação do Verão Sergipe está invertida. Pra cada artista local sobem dois caríssimos medalhões nacionais.
Sobre os nacionais nem entro no mérito subjetivo do gosto. Somente me pergunto: por qual necessidade se repetem nomes de artistas nacionais nos eventos de um país tão rico em atrações musicais de grande e médio porte? Há pouco, em 2008, Rita Lee veio embolsar a grana de um reveillon aracajuano. Novamente está de volta, agora pelo Verão Sergipe. Parece que trocou cadeira com Daniela Mercury que esteve nas edições do próprio Verão Sergipe 2010, 2009, e retorna agora para brindar um 'troquinho' em nosso reveillon na orla.
E por aí vai os ‘repeteco’... Dudu Nobre, Detonautas, Alceu Valença, Lenine, Jorge Ben Jor, Nando Reis... às vezes em anos consecutivos, seja reveillon, aniversário da cidade, Projeto Verão, Verão Sergipe, Forró Caju (esse nem se fala!). Os fãs que me perdoem – eu também sou um – mas pede um pouco de coerência esta situação.
O excesso de coincidências fica mais estranho ainda quando consideramos que tratam-se de eventos distintos, de estado e prefeitura, mas que dão porém toda impressão de que são negócios fechados num mesmo balcão.
Quem se intrigar com a pergunta acima que dê uma espiada nos principais eventos de outros estados ao longo dos anos e vai reparar que existe uma incômoda coincidência de atrações numa espécie de ciranda monótona, onde muda ocasionalmente um aqui, outro acolá, mas basicamente serve-se uma farofada geral com os quase sempre mesmos elementos. Pense em seguida que os contratos são agenciados por produtoras que possuem determinados artistas em seu portifólio. No mínimo está ocorrendo aí um descuido.

Já no caso dos artistas locais o mais delicado é tocar numa ferida que envolve nossos ‘bródi’ do dia a dia. Mas isso é algo mais complexo do que simplesmente achar politicamente correto que haja rotatividade de bandas nos shows principais. A argumentação de que novos nomes precisam ser levados ao público perde força no âmbito da cena local diante da realidade do mundo artístico, porque nenhuma banda firma seu nome junto ao grande público tocando uma única vez num evento principal. A Elvis Boamorte e os Boavidas tocou 2011 no Verão Sergipe, mas está encerrando o ano com grande relevância no cenário. Portanto seria estratégico que ela mantivesse o embalo pra firmar o destaque em 2012. A Maria Scombona tocou em 2009 e 2010, mas nesse apagar de 2011 está lançando cd novo. Seria estratégico pra ela tocar de novo em 2012. A The Baggios está tocando em tudo que é evento, mas é uma oportunidade forte que temos de difundir um rock de qualidade e autêntico para um público atolado com suingueiras e outras calamidades sonoras que descaracterizam a riqueza da nossa produção musical. Patrícia Polayne tem situação parecida. Isso tudo é regra de mercado da música, e ao mesmo tempo contribui pra construir cena local.
Mas aí vem o outro gume da faca. Cena local se constrói também com diversidade, e a repetição e falta de oportunidade pros que estão de fora derruba qualquer crescimento, segrega, desestimula, mata. Nós também precisamos entrar no mercado. Uma andorinha só não faz o verão da música sergipana resplandecer.
Pra piorar ainda mais, essa faca de dois gumes não cabe na própria bainha pois a principal atribuição do Estado definitivamente não é promover show pra empregar artista.
O que falta então? Falta o Poder Público cumprir sua principal atribuição que é estimular sistematicamente o desenvolvimento da cena pra que as bandas locais não dependam apenas de tres oportunidades no ano pra aparecer pro grande público. Falta adotar amplamente a política de editais para contratação. Falta a Cultura e o Turismo trabalharem pra incentivar empreendimentos privados que escoem nossa produção musical. Falta a Comunicação se comunicar com o artista sergipano. Falta captar recursos para a cadeia produtiva sergipana. Falta pulverizar as verbas dos grandes eventos em eventos menores ao longo do ano. Falta o Poder Municipal regulamentar de forma justa e coerente os procedimentos de concessão e fiscalização na realização de eventos e espaços musicais. Falta à classe artística contribuir, erguer a cabeça, se pronunciar clara e objetivamente perante o gestor público, e não apenas se limitar a mostrar o umbigo sangrando em choro somente quando perde o chão do palco.
Por fim, falta vontade de fazer.
Uma andorinha só não faz... quando não quer.
Ou, assim como quem está ganhando se cala conivente, talvez falte quem é chato se calar pertinente, porque tá bom é assim mesmo. Vai que o sol brilhe também pelas bandas de cá.

Deilson Pessoa
compositor e cantor   



    Legendas:
    V - Verão Sergipe           P - Projeto Verão

 BANDAS
 2012
2011
  2010
 2009
 2008
Airliquid



P






Alceu Valença



P






Alapada
V

V
P
V

V
P
V

Alex Sant’Anna




V





Amorosa




V





Bacana, DJ







P


Baggios, The
V

V
P
V
P



P
Bago de Jaca


V







Banda dos Corações Partidos



P
V
P



P
Banda Severina





P




Belo





P




Biquini Cavadão
V









Cabedal
V


P

P




Cachorro Grande






V



Café Pequeno


V
P
V
P



P
Capital Inicial










Capitão Parafina e os Haoles






V

V

Carlinhos Brow




V





Carol Prudente



P






Cartel de Bali








V

Cataluzes



P






Charlie Brow Jr.







P


Chico Queiroga e Antonio Rogério




V





Chimarruts
V









Cia, DJ







P


Cidade Negra








V

Daniela Mercury




V

V



Daysleepers





P




Dekola





P




Detonautas




V


P


Diogo Nogueira






V



Dream Zion









P
Dudu Nobre




V




P
Elvis Boamorte e os Boavidas


V







Elza Soares





P




Exaltasamba







P


Fábrica, A








V

Falcão e os Loucomotivos



P






Fernanda Takai





P




Ferraro Trio


V
P
V





Forte Desejo





P




Frejat
V









Fundo de Quintal
V









Gilberto Gil







P


Guga, DJ







P


Guerreiros Revolucionários









P
Hot Black, DJ







P


Hinnergy, DJ







P


Hi Tech System, DJ







P


Jau


V







Java








V

Jimmi Loo



P






Jorge Aragão




V





Jorge Bem Jor






V

V

JotaQuest




V





Kadência do Samba



P






Kaska, DJ


V







Kararoots



P






Kid Abelha



P






Kleber Melo





P




Laboratório Mental









P
Lacertae


V







Lateiros Curupira





P




Lecy Brandão



P






Lelo Almeida









P
Lenine




V


P


Léo Levi, DJ


V
P



P


Luckinhas, DJ










Lulu Santos


V







Mamutes




V
P




Mandinga de Praia



P






Mano Chao







P


Marcelo D2









P
Marclo Vilane





P




Margareth Menezes
V



V





Maria Gadú


V







Maria Scombona




V
P
V
P

P
Mariana Aydar








V

Martinália




V



V

Mensagem Negra




V





Mensagem Negra



P

P




Monobloco


V







Montezuma, DJ



P






Nação Zumbi





P

V

P
Nando Reis



P


V

V

Natiruts








V

Naurêa



P
V
P
V
P
V
P
Nilo, DJ







P


NXZero



P

P




Oganjah



P

P




Olodum




V



V

Pantera


V







Pango, DJ



P

P




Paralamas do Sucesso
V



V
P




Patife, DJ





P




Patrick Tor4, DJ



P






Patrícia Polayne


V

V





Paulinho da Viola









P
Pífano de Pife





P




Pitty



P




V

Plástico Lunar



P

P



P
Rappa, O







P

P
Reação
V


P
V
P
V
P

P
Revelação



P






Rita Ribeiro
V









Seu Jorge









P
Sibbéria




V


P
V
P
Sinestesia



P






Skank




V





Snooze




V
P




Só Lamento



P





P
Sulanca





P




Sunway








V

Titãs






V



Thiago Ribeiro




V





Tony Garrido





P




Vanessa da Mata




V



V

Versianni, DJ





P

P


Victor Zuck, DJ





P




Wilson Sideral








V


Fonte: sites oficiais das bandas, site agência de notícias de sergipe, site da infonet, site da tv atalaia